segunda-feira, 30 de maio de 2011

A Amamentação

A cada ano nascem cerca de 83.000 novos carioquinhas. Estes pequenos cidadãos possuem o direito a um crescimento e desenvolvimento saudável. Após o nascimento, o leite materno é o melhor alimento para o bebê crescer e se desenvolver nos primeiros meses de vida.

O leite materno é capaz de suprir sozinho todas as necessidades nutricionais da criança nos primeiros seis meses e continua sendo uma importante fonte de nutrientes no segundo ano de vida, especialmente de proteínas, gorduras e vitaminas.

Portanto, nada de chás, sucos ou água; apenas o leite materno é suficiente até os 6 meses de vida do bebê. Após esse período, outros alimentos podem ser introduzidos na alimentação em conjunto com o leite da mãe. Não é preciso rigor de horário, o ideal é dar de mamar sempre que o bebê quiser.

A criança que mama no peito fica protegida contra infecções respiratórias e diarréias. Além disso, tem menor risco de desenvolver alergias, hipertensão, colesterol alto e diabetes. O ato de amamentar também ajuda no desenvolvimento da cavidade oral, favorecendo o desenvolvimento da fala e dentição.

Amamentar não é apenas dar o peito, é um momento de interação, troca de olhares entre mãe e filho. Uma amamentação prazerosa, os olhos nos olhos e o contato contínuo entre mãe e filho certamente fortalecem os laços afetivos entre eles, oportunizando intimidade, troca de afeto e sentimentos de segurança e de proteção na criança e de autoconfiança e de realização na mulher.
Mas amamentar não é uma tarefa fácil, tanto a mãe quanto o bebê precisam aprender, e é neste momento que a mãe precisa do apoio de amigos, familiares e da sociedade. Em caso dúvida ou dificuldade a mãe pode procurar o serviço de saúde para orientações e esclarecimento.

Para o sucesso do aleitamento, é preciso um olhar atento, que leves em consideração aspectos emocionais, sociais e culturas. A mulher deve ser reconhecida como protagonista do seu processo de amamentar. Com a amamentação, não apenas mãe e bebê se beneficiam, mas também a família e toda a sociedade.

O incentivo ao aleitamento materno é uma estratégia econômica e eficaz para a redução da morbimortalidade infantil, no entanto, no Brasil, as taxas de aleitamento materno ainda estão abaixo do recomendado. A implementação das ações de proteção e promoção do aleitamento materno e da adequada alimentação complementar depende de esforços coletivos intersetoriais e constitui enorme desafio para o sistema de saúde.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Amamentação a mil!

Vídeo do evento "Amamentação a Mil", realizado no dia 28 de agosto de 2010, na Zona Norte do Rio.

video

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Programação

A proposta é que o evento seja realizado no período de 22 a 28 de agosto, mês no qual é comemorada a Semana Mundial da Amamentação e o mês de valorização da Paternidade.
Estão previstos:
· Evento científico: 23 de agosto;
· Manifesto Popular: 28 de agosto;
· Atividades de Educação em Saúde na rede da Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil e da Secretaria Municipal de Educação: 22 a 26 de agosto.
Maiores informações em breve!

Idéias...

A idéia da realização da I Semana do Bebê Carioca surgiu a partir da experiência nas comemorações da Semana Mundial da Amamentação na cidade de Rio de Janeiro, associada a proposta apresentada pela cidade de Canela, no Rio Grande do Sul, que há dez anos instituiu a Semana do Bebê, com objetivo de mobilizar toda a sociedade sobre a importância de ações que priorizem a Primeira Infância.

O conhecimento da importância vital dos primeiros anos de vida para todo o desenvolvimento futuro do ser humano provoca cada vez mais a necessidade do estabelecimento de políticas publicas que garantam o desenvolvimento integral da Primeira Infância. É nesse período que desenvolvemos as capacidades motoras, cognitivas, sócio-afetivas e de linguagem, sendo fundamental cuidar da criança desde a gestação, favorecendo o estabelecimento do vinculo entre mãe e filho. Essa é uma tarefa, fundamentalmente, de responsabilidade do Estado, mas que deve ser compartilhada com toda a sociedade.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Apresentação

Bem-vindos aoBlog de divulgação da I Semana do Bebê Carioca!

O estímulo ao aleitamento materno faz parte das medidas propostas para redução da mortalidade infantil, que integra os “Objetivos de Desenvolvimento do Milênio”, proposto pela ONU. A I Semana do Bebê Carioca, uma parceria entre a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e a Unicef, busca promover a prática da alimentação saudável e formação de vínculo, além de estimular a educação em Saúde.

O programa de Aleitamento Materno da Secretaria de Saúde do Rio está de acordo com as diretrizes da Agenda de Compromisso com a Saúde Integral da Criança e Redução da Mortalidade Infantil, da Coordenação de Atenção à Criança do Ministério da Saúde (2004), que tem como princípios norteadores do cuidado:
• O planejamento e desenvolvimento de ações intersetoriais;
• O acesso universal, o acolhimento, a responsabilização, a assistência integral e resolutiva;
• A equidade;
• A atuação em equipe;
• O desenvolvimento de ações coletivas com ênfase nas ações de promoção da saúde;
• A participação da família/controle social na gestão local e avaliação permanente e sistematizada da assistência prestada.

Para o Sistema de Saúde, implementar ações de proteção e promoção do aleitamento materno constitui um grande desafio. Na ultimas três décadas essas ações não eram estimuladas no âmbito da Atenção Básica, estavam focalizadas principalmente no ambiente hospitalar. Atualmente, estratégias como o Pacto pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal, o Pacto pela Vida e a Política Nacional de Atenção Básica tem contribuído como instrumentos para o fortalecimento da Saúde da Família, no âmbito do SUS. A estratégia Saúde da Família foi reconhecida pelo Unicef como uma das principais políticas adotadas pelo Brasil responsável pela diminuição das taxas de mortalidade infantil.