sexta-feira, 29 de julho de 2011

Comunique-se!


A Semana Mundial da Amamentação (SMAM) é uma iniciativa da WABA tendo sido iniciada em 1992 com o objetivo principal de mobilizar a sociedade num mesmo período para em torno de um tema estabelecido promover ações de incentivo ao aleitamento materno no mundo inteiro.

Em 2011, o tema da SMAM é “COMUNIQUE-SE! AMAMENTAÇÃO – uma experiência 3D.”

Mas por que 3D? Quando falamos em apoio à amamentação, a tendência é pensar em 2 dimensões: tempo (da gravidez ao desmame) e lugar (a casa, comunidade, sistema de saúde, etc.). Mas nenhum desses tem muito impacto sem a TERCEIRA dimensão: a comunicação!

A comunicação é parte essencial na proteção, promoção e apoio à amamentação. Atualmente, a internet nos traz a possibilidade de encontrar facilmente informação sobre qualquer coisa. Usamos as redes sociais para encontrar rapidamente amigos e familiares que moram longe. Em relação à amamentação, existe muita informação disponível através destes canais. Não há dúvida de que a amamentação fornece uma bagagem de saúde nutricional e preventiva para bebês e crianças, e é uma das práticas mais sustentáveis da terra. A amamentação também é importante para as mulheres – ajudando-as a perder peso após o parto, protegendo-as contra o câncer de mama e outras doenças, e adiando o retorno da menstruação e ovulação. No entanto, em muitos lugares do mundo ainda travamos uma batalha contra os baixos índices de amamentação exclusiva e continuada. Por que existe uma lacuna entre o que sabemos e o que está efetivamente acontecendo, e o que podemos fazer a respeito? Assim como os componentes do leite materno, que formam um complexo vital de nutrientes e células vivas, a interação renovada e animada entre as pessoas é vital para cultivar e apoiar as mães que amamentam! Estas interações fazem com que a mãe saiba que não está sozinha!

O tema da SMAM 2011 nos lembra que amamentar é uma experiência 3D – uma oportunidade de ter um maior alcance, um investimento em um futuro saudável e, finalmente, uma lente ímpar através da qual vemos o mundo.

Confira quais foram os temas ao longo desses anos:
2011 – Comunique-se! AMAMENTAÇÃO – uma experiência 3D.
2010 – Aleitamento Materno – apenas 10 passos!
2009- Aleitamento Materno: Resposta Vital nas emergências. Estamos Preparados?
2008 – Amamentação: Apoio às mães vale ouro
2007 – Amamentação na primeira hora: proteção sem demora!
2006 – Amamentação: Garantir este direito é responsabilidade de todos.
2005 – “Peito e comida caseira: saúde pra vida inteira!”.
2004 – Amamentação exclusiva: segura, saudável e sustentável.
2003- Amamentação: Trazendo Paz num Mundo Globalizado
2002 – Amamentação: Mães Saudáveis, Bebês Saudáveis.
2001 – Amamentação na Era da Informação.
2000 – Amamentar é um Direito Humano
1999 – Amamentar é educar para a Vida
1998 – Amamentação :O melhor Investimento
1997- Amamentar é um Ato Ecológico
1996- Amamentação responsabilidade de todos
1995- Amamentação Fortalece a Mulher
1994- Amamentação Fazendo o Código Funcionar
1993- Amamentação:Direito da Mulher no Trabalho
1992- Iniciativa Hospital Amigo da Criança

Website: http://www.worldbreastfeedingweek.org/

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Atriz Betty Gofman Convida para a I Semana do Bebê Carioca

Betty Gofman, atriz e madrinha da Campanha Nacional da Amamentação pelo Sistema de Conselhos Regionais e Federal de Fonoaudiologia - "Bebê Sarado Mama no Peito: Saúde , o Seio da Questão!" - fotografou e gravou sua participação nesta 5a feira (21/07) acompanhada pela fonoaudióloga Flávia Bessa, Conselheira do 9o Colegiado do CREFONO1 e membro do GT da Semana do Bebê Carioca.

A atriz ainda gravou um vídeo convidando à população para participação no dia 28 de agosto, no evento de Mobilização Popular da Semana. Confiram logo abaixo!

No blog do CREFONO1, é possível conferir as fotos da Campanha Nacional "Saúde, o Seio da Questão", com a participação de Betty Gofman e Maria Paula.


Foto do pôster: Flávia Bessa.


video

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Grupo de Trabalho a todo vapor!!!

Na última quarta-feira o Grupo de Trabalho da I Semana do Bebê Carioca se reuniu mais uma vez. Todos os integrantes estão empolgadíssimos com o andamento das atividades para organização da Semana.


A exposição da Mostra “AMAMENTAÇÃO VIVA” já tem como local confirmado a estação de metrô da Carioca. No dia 22/08, será realizada a ação de divulgação da campanha “ 1ª Semana do Bebê Carioca. Rio: A Cidade que Amamenta” com distribuição de folders informativos e início da mostra. A exposição permanecerá durante toda a semana.

Para o evento Científico, no dia 23, está programado para a abertura um show musical com o Coral do Alemão, com cerca de 30 crianças da comunidade. Para finalizar o evento, o grupo Saudarte, da UFF, apresentará um divertidíssimo show de paródias.

A programação para o Fórum Científico da Rede Rio de Banco de Leite Humano já está finalizada:
Mesa: Aleitamento Materno: Visão de Futuro
09:00 - abertura
09:30/10:00 – Dra. Nicole O. Mota Gianini - "Prematuridade e Aleitamento Materno"
10:30/11:00 - Dra. Maria Elizabeth Lopes Moreira - "O Futuro Começa Aqui"
11:00/11:30 - Dr. João Aprígio Guerra de Almeida - "O Desenvolvimento Tecnológico à Serviço dos Bancos de Leite Humano"
11:30/12:00 - Dra. Maria Auxiliadora de Souza Mendes Gomes - "Investimentos Realizados no Crescimento da Rede Municipal de Bancos de Leite Humano".





Luciana Phebo, do UNICEF, ofereceu a possibilidade de apoio de empresas para montagem de um palco para show durante o evento de Mobilização Popular, distribuição de kits educativos e ecobags para as mães. Ainda para o dia 28, já estamos pensando em várias idéias para o Espaço Brincar, com conforto e segurança para as mães e suas crianças.


Estamos articulando as parcerias com as instituições de ensino (UERJ,UFF, Bennett, ENSP, UniRio), que poderão montar stands, apresentar trabalhos no evento de mobilização popular (28 de agosto), sendo esclarecido que a Prefeitura não arcará com as despesas referentes a participação dessa instituições. O documento formalizando as inscrições já está sendo divulgado.

O Papel do Profissional de Saúde

Os profissionais de saúde aprendem a identificar e resolver problemas. Contudo, para que essa ajuda seja efetiva não basta dar informação. Também é necessário auxiliar a identificação da origem dos problemas, sugerindo possíveis caminhos. Para isto, é importante não só o que se diz, mas a forma como se diz.

Aconselhamento da Amamentação no Pré-natal:
O formulário de História da Amamentação pode auxiliar a abordagem na consulta individual e na visita domiciliar:
1. Saúde materna.
2. Alergias maternas e familiares.
3. Mamas e mamilos, cirurgias e doenças.
4. Historia prévia de amamentação.
5. Gravidez atual (conhecimentos e preocupações da mãe, planos para utilização de leites artificiais).

Temas a serem abordados na consulta individual/visita domiciliar ou grupos:
· Discussão sobre preocupações, duvidas e expectativas sobre o aleitamento materno e a maternidade;
· Valorização do alojamento conjunto;
· Importância da amamentação na sala de parto e nas primeiras horas apos o parto para o estabelecimento de um aleitamento materno com sucesso;
· Abordagem das técnicas de posição da mãe e do bebe, pega da aréola, massagem e expressão manual das mamas; amamentação sob livre demanda e alternância das mamas.

Cuidados com as mamas e os mamilos:
· E recomendado banho de sol, sem soutien, sempre que possível, por aproximadamente 10 minutos diários ate as 9 h ou apos as 16h. Como alternativa pode-se utilizar banho de luz com lâmpada de 40w, a 50 cm de distancia da mama.
· Não são recomendadas massagens com cremes, fricções ou expressão de colostro.
· Deve ser aconselhada a lavagem das mamas com água sem sabão (para não remover os óleos naturais da sua pele) durante a higiene diária.
· E favorável a utilização de um soltem confortável, não apertado, de preferência de tecido de algodão.
· Não se recomenda manobras para mamilos rasos ou invertidos durante essa fase. Este tipo de prática e ineficaz ou até associada a um impacto negativo na amamentação.
· Implantes de silicone ou redução mamária quase sempre não impedem ou interferem na amamentação.

Manejo da Amamentação:
O acompanhamento da amamentação precisa ser realizado em momentos-chave, como: a Visita Domiciliar na Primeira Semana de Vida e o Acolhimento Mãe-bebê na unidade de saúde. Essas ações devem acontecer justamente quando há grandes probabilidades da mãe estar ansiosa, com dúvidas e dificuldades para amamentar. Atenção à apojadura, quando as mamas costumam ficar cheias, doloridas e com maior risco de fissuras mamilares. Esses encontros favorecem o vínculo da família com a unidade de saúde. Lembrar que deve ficar muito claro a disponibilidade de busca da unidade em qualquer situação de dúvidas e/ou dificuldades no cuidado do bebê ou da própria mãe.


Fonte: "Saúde da Criança na Atenção Primária", Equipe da Gerência de Programas de Saúde da Criança da SMSDC-RJ

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Maria Paula apoia o Bebê Sarado


O CREFONO1,que apóia a Semana do Bebê Carioca, abre inscrições para a Campanha Nacional da Amamentação (veja o link). Todos os fonoaudiólogos do estado do RJ poderão inscrever seus núcleos de atividades para divulgar o tema e orientar a população. Mais informações no site do CREFONO1.

Na primeira semana de agosto, a World Alliance for Breastfeeding Action (WABA) promoverá a Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM 2011). E como o Bebê Sarado ganha as ruas exatamente na semana da SMAM 2011, ele pode ser visto na página da WABA na internet!

Confira a matéria com Maria Paula, publicada na revista Comunicar: http://www.fonoaudiologia.org.br/publicacoes/comunicar48.pdf

sábado, 9 de julho de 2011

A Madrinha da Semana Mundial de Aleitamento 2011


Juliana Paes e seu filho Pedro serão protagonistas da campanha de amamentação do Ministério da Saúde deste ano. Ela foi escolhida para ser a madrinha da 20ª Semana Mundial de Aleitamento.

Em entrevista para a revista QUEM, Juliana revela: “São os meus melhores momentos com Pedro. Quando ele acaba de mamar, suspira olhando para mim e sorri, eu me sinto a mulher mais poderosa do mundo”.

No dia 1º de Agosto, ocorrerá a Cerimônia de Abertura da Semana Mundial da Amamentação, no Palácio do Catete, Rio de Janeiro.


Fotos: Renata Xavier

sexta-feira, 8 de julho de 2011

As Vantagens do Aleitamento Materno

Já está devidamente comprovada, por estudos científicos, a superioridade do leite materno sobre os leites de outras espécies. São vários os argumentos em favor do aleitamento materno.

1. Evita mortes infantis: Fatores existentes no leite materno protegem contra infecções. Nenhuma outra estratégia isolada alcança o impacto que a amamentação tem na redução das mortes de crianças menores de 5 anos. A amamentação previne mais mortes entre as crianças de menor nível socioeconômico.

2. Evita diarréia: Há fortes evidências de que o leite materno protege contra a diarréia, principalmente em crianças mais pobres. É importante destacar que essa proteção pode diminuir quando o aleitamento materno deixa de ser exclusivo. Oferecer à criança amamentada água ou chás, prática considerada inofensiva até pouco tempo atrás, pode dobrar o risco de diarréia nos primeiros seis meses.

3. Evita infecção respiratória: A proteção do leite materno contra infecções respiratórias foi demonstrada em vários estudos. Além disso, a amamentação diminui a gravidade dos episódios. O aleitamento materno também previne otites.

4. Diminui o risco de alergias: A amamentação exclusiva nos primeiros meses de vida diminui o risco de alergia à proteína do leite de vaca, de dermatite atópica e de outros tipos de alergias, incluindo asma e sibilos recorrentes.

5. Diminui o risco de hipertensão, colesterol alto e diabetes: Há evidências sugerindo que o aleitamento materno apresenta benefícios em longo prazo. Não só o indivíduo que é amamentado adquire proteção contra diabetes, mas também a mulher que amamenta.

6. Reduz a chance de obesidade: A maioria dos estudos que avaliaram a relação entre obesidade em crianças maiores de 3 anos e tipo de alimentação no início da vida constatou menor freqüência de sobrepeso/obesidade em crianças que haviam sido amamentadas.

7. Melhor nutrição: O leite materno contém todos os nutrientes essenciais para o crescimento e o desenvolvimento ótimos da criança pequena, além de ser mais bem digerido, quando comparado com leites de outras espécies. é capaz de suprir sozinho as necessidades nutricionais da criança nos primeiros seis meses.

8. Efeito positivo na inteligência: Há evidências de que o aleitamento materno contribui para o desenvolvimento cognitivo.

9. Melhor desenvolvimento da cavidade bucal: O exercício que a criança faz para retirar o leite da mama é muito importante para o desenvolvimento adequado de sua cavidade oral. O uso de chupetas e mamadeiras prejudica a respiração nasal.

10. Proteção contra câncer de mama: Já está bem estabelecida a associação entre aleitamento materno e redução na prevalência de câncer de mama. Estima-se que o risco de contrair a doença diminua 4,3% a cada 12 meses de duração de amamentação.

11. Evita nova gravidez: A amamentação é um excelente método anticoncepcional nos primeiros seis meses após o parto desde que a mãe esteja amamentando exclusiva ou predominantemente e ainda não tenha menstruado.

12. Menores custos financeiros: Não amamentar pode significar sacrifícios para uma família com pouca renda. Ao gasto com a compra do leite, devem-se acrescentar custos com mamadeiras, bicos e gás de cozinha, além de eventuais gastos decorrentes de doenças, que são mais comuns em crianças não amamentadas.

13. Promoção do vínculo afetivo entre mãe e filho: Amamentação é uma forma muito especial de comunicação entre a mãe e o bebê e uma oportunidade de a criança aprender muito cedo a se comunicar com afeto e confiança.

14. Melhor qualidade de vida: Crianças amamentadas adoecem menos, necessitam de menos atendimento médico, hospitalizações e medicamentos, o que pode implicar menos faltas ao trabalho dos pais, bem como menos gastos e situações estressantes. Além disso, quando a amamentação é bem sucedida, mães e crianças podem estar mais felizes, com repercussão nas relações familiares e, conseqüentemente, na qualidade de vida dessas famílias.

Fonte: Ministério da Saúde.